Lavanda – História e Seus Benefícios

Lavanda – História e Seus Benefícios

961608_640300952765413_2047338575_n (1)

No Portal Lughnasadh teremos a intenção de dar dicas e informações também sobre as ervas e flores. O que a natureza tem de bom para nos oferecer.

Lavanda vem do latim lavare (lavar) e foi um dos aromáticos preferidos dos romanos que a usavam em suas vestes. Eles podem ter obtido o conhecimento com os egípcios, que a utilizavam no processo de mumificação e na manipulação de perfumes.

Na Índia a lavanda era conhecida por Nardo. Os Gregos conheciam a planta pelo nome de Nardus, fazendo assim ser conhecida pelos países que circundam o Mar Mediterrâneo.

A Lavanda é uma planta de poder feminino. Muitas mulheres, segundo escritos antigos, faziam uso de seu óleo perfumado.

“Então Maria, tomando uma libra de balsamo de Nardo puro de grande preço, ungiu os pés de Jesus, e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do balsamo”.  (João- cap 12 ver 03)

Também utilizado para a sedução, serviu no caso de Judith de Jerusalém; Cleópatra com Marco Antonio e à famosa Rainha de Sabá.

Algumas mulheres na África usam-na como amuleto de proteção contra agressões.

lavender aromatherapy

Lavanda / Alfazema

Indicações ritualísticas: acalma o espírito, tranquiliza nas situações difíceis

Cor energética: azulado cristalino, azul claro.

Orixás principais: Iemanjá, Oxalá e Oxum.

Aromaterapia: A lavanda emana paz pelo seu odor limpo e fresco.

Indicações: Doenças respiratórias – bronquite, gripe, catarro, sinusite, enxaqueca, depressão, convulsões, tensão nervosa, insônia, palpitações, anti-séptico para dermatites, eczemas, queimaduras, cortes, psoríase, perda de cabelo, doenças genitais, picada de inseto, piolhos.

Cromoterapia: uma mistura das qualidades do azul e do roxo pode evocar uma sensação de calma, espiritualidade, contemplação e silêncio e na matéria paralisa inflamações e infecções .

Planeta: Mercúrio

Elemento: Ar

Palavra chave: Calma e tranqüilidade.

A Lavanda tem o poder de ancorar a luz violeta das suas flores em nossos campos sutis, despertando nossa sensibilidade espiritual, ativando o chacra da coroa.

Massoterapeuta, instrutora de danças ciganas, sagradas e folclóricas dos orixás, facilitadora de circulo para mulheres e artista plástica. Estudiosa do folclore brasileiro e da nossa tradição cabocla, magias e wicca. Desenvolve em seu trabalho a busca do resgate da sacralidade feminina e na auto estima da mulher contemporânea, priorizando a ancestralidade e individuação de cada ser, vivenciando através da dança, do toque holístico e das artes plásticas o despertar Deusa em toda potencialidade feminina.

Bookmark the permalink.

Comente...