Chacras e a Depressão – Foco em Chacra Básico

Chacras e a Depressão – Foco em Chacra Básico

chacra1
Ultimamente o que mais se houve é a palavra depressão como se fosse algo externo, uma ameaça, que pode nos abordar e abocanhar tomando conta de nossas vidas.
Acredito que haja uma graduação de emoções até chegar a uma depressão, porém estamos tão apartados de nossas próprias emoções que fica difícil detectar e administrar ondulações emocionais menos intensas. É como se fugíssemos de do contato com nossas questões emocionais, até que o “controle” que exercemos seja insuficiente e elas extravasem nos fazendo sentir impotentes.
Tristezas são como dias chuvosos, eles existem e são necessários à vida e elas também. Desconectar-se das próprias emoções é como perder o liame precioso com a vida. Pensamentos analisam a realidade, mas são nossas emoções que nos ligam a ela. É um processo muito pessoal e diferenciado de pessoa pra pessoa.
Olhado sob o ponto de vista energético este quadro, apenas esboçado acima, tem explicação e recuperação.
Nada tão rápido quanto tomar comprimidos que “normalizam”, porém não reconstroem o campo emocional de quem quer que seja.
Todos temos um campo de energia que sustenta a vida no corpo físico, que é um veículo adequado para a manifestação da consciência na terceira dimensão. Este corpo é feito da matéria planetária e traz acoplado a ele, permeando-o, todas as características, habilidades e propósitos do ser para uma vida.
As energias que compõe este campo são de uma variedade imensa indo das energias mais próximas do veículo físico até as mais sutis, menos individualizadas.

Toda esta gama de padrões de energia está em constante movimento. Cada emoção, cada pensamento, provoca movimentos no campo. Interações emocionais e mentais com outras pessoas também. Tudo muito dinâmico e muito vivo.
Os chacras são vórtices, redemoinhos, nesta profusão de energia. Eles captam e transformam padrões de energia de diferentes graus de sutileza fazendo-os chegar ao corpo físico onde estas energias já adensadas são traduzidas em padrões químicos pelas glândulas e entram assim no funcionamento de nossa fisicalidade. Nossas células físicas estão sempre sendo impregnadas pelas nossas emoções e nossos pensamentos criando memórias corporais, modificando nossa postura, nossas expressões faciais e até nosso odor.
Vamos ligar uma coisa à outra: depressão e chacras.
Tristezas e raivas não administradas se acumulam e podem chegar a um limite meio sem volta caso não sejam percebidas, vivenciadas e compreendidas. A sensação mais presente num deprimido é a de impotência.
É como se os dados todos fossem uma sobrecarga ao seu psiquismo.
A química corporal fica comprometida e aí entramos num ciclo vicioso.
Sob o ponto de vista energético o chacra básico, responsável por nossa ancoragem à vida nesta dimensão, começa a falhar e a conexão com a vida fica mais fraca.
O chacra básico é o responsável por nos enraizar, é o nosso fio-terra.
Dependendo do grau de desconexão o indivíduo “sai do ar “.
O tratamento de um deprimido deve sempre enfatizar a regulagem do chacra básico refazendo gradativamente a ancoragem. Isto é até mais urgente do que conversar a respeito com ele. A conversa não deve ser descartada, claro, porém é importante salientar que um terapeuta energético não trata doenças, ele recupera a condição do campo de energia para que o organismo bioenergético tenha como se auto-regular.
Uma das indicações de chacra básico desconectado é falta de apetite, sono excessivo, desatenção, falta de cuidados corporais e desinteresse nas coisas e pessoas à sua volta.
Este padrão de “soltar as rédeas” de sua vida abre o campo de energia a energias coletivas de baixo padrão vibratório aumentando o risco de se perder o pé da situação. cracra 2
Outros chacras são afetados também, porém hoje nos deteremos no padrão do chacra básico.
Paralelamente ao tratamento energético que consiste em limpar/regular o chacra básico e acrescentar energia ao campo há a necessidade de exercícios físicos.
Claro que vc não vai querer que um deprimido que não come, não se interessa por nada e só quer dormir, saia correndo 1 hora por dia, todos os dias. A rotina exercícios mais adequada é aquela que contempla a consciência corporal e orientada por alguém no princípio. É importantíssimo que o deprimido volte a ter contato com seu corpo.
Trabalho de consciência corporal e respirações profundas juntamente com o tratamento energético recuperam. O próximo item a ser acoplado ao tratamento é estimular a imaginação e visualização junto com as práticas corporais. Os movimentos devem ser simples e coordenados com a respiração, levando o indivíduo a focar no membro ou parte do corpo que está sendo trabalhado.
Caso ele esteja fazendo uso de alguma medicação ela deve ser respeitada e à medida que for se restabelecendo deve ser orientado a relatar a melhora ao seu médico para que a medicação seja repensada de acordo com o critério do médico responsável.
Numa próxima ocasião falarei do envolvimento do segundo e terceiros chacras, pois eles passam a funcionar deficientemente também.
Um abraço
Clo Bassetto

Clo Bassetto é Terapeuta Holística e Corporal, Astróloga, Musicista, Arquiteta (FAU-USP), Radiestesista e Estudiosa de Corpos Sutis e Campos de Energia Humanos. Mestra Orientadora Sênior de Reiki (Mikao Usui – Reiki Association International)

Bookmark the permalink.