A Complicada Arte de SER MULHER

A Complicada Arte de SER MULHER.

São muitas as atribuições desempenhadas pe las mulheres no seu dia a dia. Não costumamos enumerá-las de forma sistemática, o que dificulta a identificação e reconhecimento de todas tarefas executadas. Mas só uma vaga idéia, vamos colocar algumas aqui: arrumadeira, faxineira, passadeira, lavadeira, cozinheira, compradora, administradora, contadora, repositora. Quando os filhos já estão presentes podemos somar: cuidadora, conselheira, nutricionista, motorista, enfermeira, investigadora, perita na arte da adivinhação (essas últimas bastante cruéis, diga-se de passagem), professora, colaboradora das necessidades financeiras, quando não é diretamente a mantenedora familiar.Businesswoman juggling responsibilities over colored background

Ainda tem que ser esposa atenciosa, boa amante, sensual, manter a autoestima do companheiro elevada, ser compreensiva e respeitar a necessidade dele de descanso e lazer quando está em casa. Estar bonita para o marido, pintar, hidratar cabelos, fazer uma escova para domar a cabeleira, fazer unhas, depilar tudo que puder.

Além de todas estas atribuições, ela é moderna!!!! Sim exige igualdade!!!!!

-Então que vá trabalhar fora de casa.

Tem que desempenhar suas funções trabalhistas como qualquer outra pessoa, é justo.

Na grande maioria das vezes todos estes papeis que sao executados simultaneamente pelas mulheres passam de um para o outro em frações de segundos. As pessoas ao redor não se dão conta do desgaste de energia que esta rotina exige.

Como defesa a mulher acaba ligando o piloto automático, e vai se distanciando de sua essência interna, do que é prazerosos ou não, prioridade ou não, o que pode delegar aos outros, a solicitar ajuda sem com isto sentir-se diminuída ou ter que ser castigada pela sociedade por suas escolhas (mulher não deveria escolher, só obedecer o que era imposto).

Acontece então que a sobrecarga começa a se fazer presente de outra maneira somatizações, que nada mais são que um recurso usado pelo psíquico onde as emoções e necessidades reprimidas ou negligenciadas são jogadas para o corpo e fabricam doenças para mostrar para esta mulher o que esta permitindo que seja feito com ela, além de dar também o álibi para poder parar um pouco para parar e pensar em como esta conduzindo sua vida.

Existe uma necessidade extrema de que um tanto desta energia possa ser dirigida para o interno, sensações, necessidades, físicas, emocionais, e questionamento a respeito de si mesma.

Quais minhas prioridades? O que estou fazendo de bom ou ruim comigo mesma?

Delego atividades para os outros? Quando fazer? Como me comporto?arte de ser mulher2

Onde estão meus sentimentos, a doçura, a delicadeza, a gentileza, o respeito e amor que deveria desenvolver primeiro para comigo, e só depois de forma natural ser expandida aos que me rodeiam?

Só o descontentamento e angustia podem levar a possibilidade da identificação das necessidades de mudanças.  Ninguém vai buscar mudar nada se estiver se sentindo bem e feliz.

E só você pode determinar se quer ou não mudar, mas as consequências serão suas de qualquer maneira.

Mas para isto, como já dizia a canção  “e preciso estar atento e forte”, porque reconhecer dificuldades e encara-las e um ato só para fortes.

Graduação na Universidade de Guarulhos em 1993. Pós-Graduada na FACIS -IBEHE em Medicina Tradicional Chinesa. Atuante em Psicologia Clínica desde a graduação atuando em consultório particular e Ambulatório de Saúde Pública. Atendimento à crianças, adolescentes e adultos (individuais ou grupais). Acompanhamento e orientação familiar dos pacientes atendidos. Atuante também no âmbito Social com crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade social, bem como no acompanhamento integral e reinserção de crianças/adolescentes retiradas do convívio familiar por medida protetiva judicial.

Bookmark the permalink.